quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

grandes obras na cultura

Li nos jornais que 75 % do orçamento de Guimarães capital da cultura foi para «infraestrutras».
Parece que agora estão a negociar o preço dos seguros das «infraestrutras».
A maneira mais rápida de acabar com uma orquestra ou um grupo de teatro é oferecer-lhe um moderno edifício com aquecimento central. O orçamento esgota-se logo nos seguros, manutenção, água, luz, etc. e a coisa acaba num instante.
Na cultura aposta-se em infraestruturas.

Sem comentários:

Enviar um comentário